Dicas de como estudar

A+ A A-

Aprovação nos Vestibulares

 

A aprovação depende de TRÊS fatores:

1º Aulas de boa qualidade. Isto requer uma equipe de professores de elevada qualidade e experiência e um material didático condizente às necessidades.

2º Acompanhamento estratégico (como fazer a prova, como controlar as emoções, o quê esperar na prova da universidade escolhida, acompanhamento, etc.)

3º Muito empenho individualizado por parte do estudante. Neste 3º fator sabemos que o estudante deve dedicar um generoso número de horas de estudo individual diário e NÃO aconselhados uma maior quantidade de aulas como cursinhos extras, pois excesso de aulas e pouco estudo individual levam ao insucesso.    

 

Avaliação dos Hábitos de Estudo

A. Motivação para o estudo

Para cada afirmação, você tem três respostas:
          a) raramente ou nunca;
          b) às vezes;
          c) freqüentemente ou sempre.

Assinale nos parênteses ao lado:

1. (   ) Você é capaz de desligar a TV, ou outra atividade de que goste muito, para ir estudar.
2. (   ) Quando começa a estudar é capaz de adiar um divertimento.
3. (   ) Você não se preocupa com a hora de acabar o estudo, nem conta as páginas que faltam para ler ou olha no relógio a todo momento quando senta para estudar.
4. (   ) Você gosta de ler seus apontamentos ou seu livro de estudos independentemente de provas; faz isto porque gosta.

 

B. Local de estudo

1 . Você estuda habitualmente:

a) numa escrivaninha, no seu quarto, onde está todo o seu material;
b) na casa de amigos;
c) em qualquer local da casa desde que haja uma poltrona confortável ou mesmo uma cama (nem sempre no mesmo local).

2. No local onde você estuda:

a) é um local quieto, sossegado, e você tem por hábito fechar porta para não ser interrompido;
b) não existem pessoas passando, conversando, mas é um local de onde você consegue perceber o "movimento" todo da casa: quem chega, o que cada um está fazendo, etc.
c) existem pessoas passando, conversando, por vezes até fazendo uma ou outra brincadeira com você.

3. Na sua escrivaninha ou mesa de estudo:

a) você deixa o estritamente necessário: papel, canetas, lápis;
b) você deixa sua máquina de calcular, dicionário, ao lado de algumas guloseimas, balas, bolachas, etc.;
c) você coloca todos os objetos de que gosta (troféus que ganhou, coleção de chaveiros) e mais algumas fotos (geralmente embaixo do vidro da mesa).

4. Você gosta do local onde estuda?

(   ) Sim (   ) Não

 

C. Horário de estudo

1. Quanto ao horário de estudo, você:

a) já sabe de manhã como vai passar o dia, tem um plano diário de estudo;
b) tem um horário onde são previstas as suas atividades, as horas de estudo, mas raramente consegue segui-lo;
c) não tem muita idéia do que terá que fazer durante o dia quando se levanta; resolve na hora, dependendo do que aparece".

 

D. Atitude durante as aulas

1 . Durante as aulas:

a) você assiste à aula, não toma notas, mas fica desenhando no caderno ou mexendo com alguma coisa, "para se manter atento”;
b) você não consegue se concentrar, fica "sonhando" ou tentando conversar com o colega;
c) você só anota alguns pontos que você acha importante.

2 . As anotações que faz em classe:

a) você, às vezes, não lembra onde anotou as aulas da matéria que vai estudar, ou estas anotações estão espalhadas no caderno;
b) você raramente recorre a elas na hora de estudar para as provas, por não dar tempo e por não confiar muito nelas;
c) são transcritas depois da aula, de forma que você "remonta" à aula dada.

 

E. Hábitos de leitura

1. Quando você lê um texto:

a) costuma se deter para compreender gráficos ou diagramas, tabelas e mapas;
b) tem muita dificuldade para descobrir o significado de um gráfico, tabela ou mapa;
c) você "pula" estas partes, pois acha perda de tempo.

2. Ainda em relação à leitura, você:

a) costuma ler o resumo no fim do capítulo antes de ler o capítulo com cuidado, ou dá uma folheada geral no capítulo antes de lê-lo, parando em alguns pontos e nos subitens;
b) começa imediatamente a ler, desde a 1.a linha;
c) dá uma folheada geral, mais para contar o número de folhas, etc., depois faz uma leitura rápida, "pulando" trechos não muito claros.

3. Durante a leitura:

a) tenta resumir o capítulo em itens ou palavras-chaves, ou anota nos cantos do texto, fazendo um resumo por parágrafo;
b) sublinha somente os pontos mais importantes;
c) não faz anotação nenhuma.

4. Quando você está lendo:

a) não se detém em cada palavra, mas é capaz, até certo ponto, de prever a palavra seguinte, "lê com os olhos";
b) pronuncia cada palavra mentalmente;
c) articula as palavras, ou seja, mexe a boca como se estivesse lendo baixinho o que está escrito.

 

F. Hábitos e atitudes gerais de trabalho. Atenção e memória

1. Você resolve estudar porque no dia seguinte haverá uma prova; a partir desta resolução:

a) você telefona a um amigo para saber o que terá que estudar;
b) você se dirige à escrivaninha, ou local de estudo, e pega tudo o que você tem referente àquela matéria que entrará na prova, fica desesperado e, "já" que não vai dar tempo mesmo de estudar agora, vai descansar;
c) você pega imediatamente o livro ou caderno e senta em algum lugar da casa para estudar.

2. Ainda na situação de véspera de prova:

a) tudo arrumado para você começar a estudar, você se lembra da festinha da semana anterior e não consegue se desligar disso e resolve ler a matéria;
b) antes de começar a ler suas anotações, preparado todo o material ou livro, você dá uma "ligada" na TV para ver o que está passando, ou vai saber o que seu irmão (ou irmã) está fazendo, vai até a casa de um amigo, ou pega o telefone antes de iniciar realmente o estudo;
c) você fica preocupado com a prova, fica pensando que deveria ter estudado antes, porém faz um planejamento de estudo e inicia logo para que, dentro do tempo disponível, consiga se preparar o melhor possível.

3. Você está estudando em sua escrivaninha, há outras pessoas na casa: sua mãe, irmãos, empregada. A janela está aberta, de forma que você ouve o barulho da rua. Você é capaz de:

a) identificar a marca de carro que buzinou na esquina e a procedência de todos os ruídos da casa;
b) responder à pergunta que a empregada faz a sua mãe e saber o que seu irmão (ou irmã) está fazendo naquele momento e em que local da casa;
c) desligar de tudo e saber qual foi o último item lido.

4. Você acabou de ler um texto, você é capaz de lembrar:

a) não sabe repetir nada do que leu;
b) alguma parte do texto, mas não se lembra do tema central;
c) o tema geral, mas não todos os detalhes.

5. Quando você se dispõe a fazer um trabalho:

a) faz tanto rodeio que no fim já não sobra mais tempo;
b) só deixa a escrivaninha após terminá-lo, embora perceba que já está cansado e que não está conseguindo fazê-lo satisfatoriamente;
c) mantém sua atenção nele até terminá-lo ou necessita de várias pausas, para um café, ou uma voltinha pela casa, antes de retomá-lo e ir até o fim.

6. Enquanto você está estudando:

a) conversa com as pessoas que passam por você, fica tamborilando na mesa ou comendo alguma coisa como bolachas, balas;
b) deixa a TV ligada para, de vez em quando, olhar o que está passando, ou estuda ouvindo música;
c) fica absorto no estudo e não gosta de ser interrompido.

7. Quando você lê um texto:

a) não sabe bem por que o autor está dizendo tudo aquilo;
b) não consegue descobrir os pontos mais importantes do que está lendo, não se recorda do que o autor disse anteriormente;
c) entende seu significado, "acompanha" as idéias do autor, embora não consiga sempre reproduzi-las no final.

8. Se você estava lendo um texto, e teve que interromper:

a) recomeça onde achava que parou, depois descobre que aquilo você já tinha lido anteriormente;
b) você tem que retomar a partir do último item, senão fica "perdido" no texto;
c) sabe exatamente onde parou ou sabe do que o autor estava tratando, mas não se lembra exatamente de onde parou.

 

Quadro de avaliação dos resultados e comentários

A . Motivação

- Se as suas respostas a esse grupo de afirmações foram em sua maioria (a), sua motivação para o estudo está bem abaixo do que seria razoável. Você está desmotivado e, portanto, no restante do teste é bem possível que apareçam falhas de concentração ou memória; isso é natural, pois você não está "ligado" no estudo.
- Se suas respostas são (a) ou (b), mas a maioria é (b), sua motivação ainda assim deixa a desejar.
- Se suas respostas foram, na maioria ou todas, (c) e mesmo assim você não está conseguindo um bom rendimento, é possível que existam falhas nos hábitos de concentração ou mesmo falta de organização.

 

B. Local de estudo

- Se você respondeu (a) a quase todas as questões, você consegue se organizar satisfatoriamente num ponto de bastante importância, que é o lugar que destinou a seus trabalhos escolares.
- Se suas respostas estão entre (b) ou (c), este ponto é problemático. As situações descritas nelas revelam desorganização crescente, isto é, as situações das alternativas (c) são "piores" do que as descritas em (b) quanto à questão de organização do local de estudo.
- A última questão, se você gosta ou não do local onde estuda, destina-se a fazê-lo parar e pensar nisto, tentando depois detectar o que no local onde você estuda está ruim e como mudá-lo. É de suma importância você gostar do local onde trabalha.

 

C. Horário de estudo

- Se você respondeu (a), ótimo.
- Se você respondeu (b) ou (c), novamente volto a insistir: você precisa organizar sua vida escolar; a alternativa (c) mostra ainda que sua dedicação ao estudo está bem deficiente. E, ainda, você "funciona" na base de cobrança, sem nenhum planejamento prévio.

 

D. Atitude durante as aulas

- Se você respondeu (c) às duas questões deste item, excelente.
- Se houve qualquer outra combinação de respostas, você tem perdido tempo devido a problemas de organização ou concentração na hora da aula. E isso vai refletir na pouca utilidade das anotações que faz. Pense no seu caso: os seus apontamentos não lhe são úteis porque você não tem um bom método de anotar as aulas ou por não conseguir manter sua atenção na hora em que o professor está explicando?

 

E. Hábitos de leitura

- Se você respondeu (a) a todas as perguntas deste item, meus parabéns!
- Se você respondeu (b), existem dificuldades a serem superadas quanto a leitura de textos.
- Se suas respostas foram (c), ou a maioria delas foi (c), existem problemas específicos a serem corrigidos, e problemas de duas espécies:
- de maus hábitos de leitura (leitura com os lábios), e
- de motivação. Você não está se aplicando o suficiente; poder-se-ia dizer que existe um problema de descuido, de desleixo. (Seria bom, inclusive, se for esse seu caso, começar uma leitura mais cuidadosa, procurando no dicionário a palavra desleixo, se você não a conhece.)

 

F. Hábitos e atitudes gerais de trabalho

- Se você respondeu (c) a todas as perguntas, ou a maioria das respostas foi (c), você tem bons hábitos de trabalho, principalmente se respondeu (c) à questão 3.
- Se você respondeu à maioria (b), existem pontos a ser corrigidos. Pequenos "vícios" de leitura e problemas na área de concentração em uma tarefa.
- Se você respondeu à maioria (a), ou só deu respostas (a), será necessária uma reformulação de seus hábitos. Existem problemas relativos à motivação, organização e atenção.

Resumindo:

Itens

Resposta (em sua maioria)

Você está ...

A. Motivação.

(a)

desmotivado

B. Local de estudo.

(c) ou (b)

desorganizado

C. Horário de estudo.

(c) ou (b)

desorganizado

D. Atitude durante as aulas.

(a) ou (b)

desorganizado

E. Hábitos de leitura.

(c) ou (b)

distraído

F. Hábitos e atitudes gerais de trabalho. Atenção e Memória.

(a) ou (b)

distraído

 

Neste quadro colocamos as respostas mais típicas dos três tipos de estudante:

a. o desmotivado ou desligado, que sempre precisa de uma "inspiração" especial para estudar;

b. o desorganizado, cujo material escolar geralmente não está em ordem para ser usado e que não consegue dimensionar sua vida ou seguir um horário.

c. o distraído ou disperso, que apresenta problemas de atenção e não consegue se concentrar no que está fazendo; é um "sonhador", está no "mundo da lua".

No entanto, estas categorias não são mutuamente exclusivas e, a bem da verdade, um problema leva a outro. Por exemplo, se eu não me organizo ou não estou motivado para uma determinada tarefa, é quase impossível prestar atenção. E, com menor probabilidade ainda, memorizarei o conteúdo do que estou lendo.

E agora, além das questões apresentadas anteriormente, seria útil ainda você pensar e responder sim ou não a estes pontos:

(   ) 1. Você tem que ler várias vezes um texto para entender seu conteúdo?
(   ) 2. Você volta atrás e tenta entender o que havia ficado confuso na primeira leitura?
(   ) 3. Você consulta o dicionário quando encontra uma palavra de que desconhece o sentido?
(   ) 4. Você tenta relacionar o que está lendo com outras partes do programa?
(   ) 5. Concentra-se no que está fazendo? Consegue prestar atenção às aulas?
(   ) 6. Você realmente tem horas destinadas ao estudo e aos trabalhos escolares?
(   ) 7. Você precisa de uma "inspiração" especial para estudar ou se dedicar aos trabalhos acadêmicos pois tem tendência a se dispersar, a perder tempo?
(   ) 8. Fica nervoso nas provas ou não tem muita paciência para ficar pensando e logo entrega a prova, bem antes do término do prazo?
(   ) 9. Antes de fazer um trabalho organiza mentalmente as idéias?
(   ) 10. As características do professor influem no seu empenho em estudar aquela matéria?

Um bom estudante teria respondido "não" somente às questões de números 1, 7, 8 e 10, e "sim" às restantes.
Analise agora suas respostas, comparando-as com as respostas esperadas de um bom estudante, e veja como você se situa quanto a estes pontos.

 

Condições gerais para que o aluno possa obter um melhor aproveitamento nos estudos

As pesquisas demonstraram que todos os estudantes estão presos a algum tipo de hábito. Muitas vezes, estes se revelam negativos e resultam em prejuízo para a aprendizagem.

 

A. Hábito de horário.

É fundamental criar um hábito de estudar sempre a uma mesma hora, horário este que deverá ser mantido definitivamente, em caráter permanente. Isto nos coloca em função do fato de que assim procedendo estaremos, consciente e inconscientemente preparados.

Observe que desde pequenos nos condicionamos para a alimentação e para o sono em um determinado horário. Ao se aproximar a hora da refeição ou repouso, estamos predispostos, com fome ou com sono, para a satisfação dessas necessidades. O mesmo ocorre com o estudo. Se determinarmos uma hora para essa atividade, teremos melhor proveito.

 

B. Hábito de lugar.

O lugar onde desenvolvemos os nossos estudos também é de grande e fundamental importância. A escolha de um ambiente tranqüilo, adequado à atividade intelectual, é muito importante para o aproveitamento nos estudos.

Escolha, preferencialmente, um local com condições adequadas e iluminação e temperatura amena. Nesse ambiente deverá estar previsto o lugar para guardarmos o material didático necessário. A cadeira deverá ser confortável, com o livro colocado sobre uma superfície com inclinação de 45º (favorece a leitura). A iluminação deve ser boa, colocada à esquerda do leitor.

 

C. Interesse

O interesse é sempre o maior incentivo para a recordação. A curiosidade é a causa da vontade de saber, constituindo-se em maior eficiência na observação, na memória e no pensamento construtivo.

Procure sempre motivos para estudar, incluindo coisas positivas que o levem a ter interesse. Descobrir interesses em assuntos dos quais nós não gostamos, nos leva a ter maior facilidade na aprendizagem.

O estudo envolve sempre uma série de atividades mentais e para esta atividade é necessário estar descansado. Portanto, evite estudar quando você estiver cansado, tiver realizado exercícios pesados, quando estiver com sono, etc.

O próprio estudo pode nos levar ao cansaço. A concentração depende do tempo de estudo. Como qualquer músculo condicionado a esforços constantes, nossa atenção diminui com o tempo de estudo.

Após cada hora de estudo, é aconselhável uma pausa de 10 minutos e durante este repouso devemos friccionar a nuca, fazer algum exercício leve. Como andar um pouco e realizar alguma atividade distinta dos estudos. Ouvir música, por exemplo, pode ser benéfico.

Além disso, não devemos estudar muitos dias seguidamente, nem todas as semanas do ano. Devemos, isso sim, adequar nosso tempo de estudo, a fim de distribuí-lo equitativamente entre vários dias, nunca deixando para estudar num único dia. Está amplamente comprovada por pesquisas a vantagem do aluno de distribuir o tempo de aprendizagem, pois o nosso subconsciente enriquece os conhecimentos acumulados dia-a-dia. Isto significa que aprenderemos muito mais se estudarmos um pouco cada dia.

 

D. Horário

Por motivos de ordem psicológica, as experiências já demonstraram que o melhor período para estudar é a parte da manhã, pois neste período as preocupações são menores e o estado físico está melhor.

Outros pesquisadores, contudo, apontam o período da noite como sendo mais indicado para o estudo. Apontam como argumento mais importante, para justificar essa afirmativa, que é o período mais tranqüilo.

O período menos aconselhável para o estudo, certamente, é a tarde, pois as horas que sucedem o almoço não favorecem essa atividade. Se for necessário estudar à tarde, entretanto, é aconselhável dar uma pausa de 30 minutos, no mínimo, após a refeição.

Muitas pesquisas apontam ainda que cada ser humano tem um ciclo vital diferente do outro e que nesse ciclo existem as horas mais favoráveis ao estudo. Esta teoria é mais moderna, pois nós realmente sentimos que há determinadas horas em que nossa capacidade intelectual parece estar mais apurada.

Enfim, definir qual é o melhor período do dia ou da noite para nossos estudos é de grande importância para o estudante que queira ter êxito.

 

E. As matérias

Sempre que possível, devemos estudar diferentes matérias de forma alternada, isto é, na primeira hora de estudar uma disciplina, depois, na hora seguinte outra.

Devemos estar estudando HOJE aquilo que vimos nas aulas de HOJE, pois as informações são “esquecidas” mais no primeiro dia, nas primeiras vinte e quatro horas, mais precisamente, segundo pesquisas, nas primeiras oito horas após sua aquisição. A partir deste momento, a queda continua ocorrendo, porém, de forma mais atenuada. Significa, portanto, que esquecemos mais no primeiro dia que nos dia subseqüentes.

Isto significa que devemos fazer um repasse ANTES que se complete este tempo, ou seja, antes das 24 horas. Feito isso, ocorre um novo ciclo, toda via a queda agora é bem menos acentuada.

Se efetuarmos vários repasses, chegará um momento em que não haverá queda, retendo-se 100% dos conhecimentos. Cada repasse fortalece as cadeias associativas, dando-lhes maior flexibilidade e duração. Isto pode ser observado no gráfico da Curva do Esquecimento.

 

8 horas

24 horas

30 dias

Curva do Esquecimento

Normal

Com repasse

Conhecimento

 Isto evita a ocorrência de conhecimentos análogos e dá tempo ao nosso subconsciente de enriquecer os conhecimentos acumulados.

  

F. O físico

A falta de concentração tem origem, muitas vezes, no descuido de aspectos corporais. Procure consultar um médico regularmente, mantendo o seu corpo totalmente são e preparado para as atividades para as atividades intelectuais.

Execute sempre exercícios físicos, procure manter uma alimentação rica e equilibrada. A visita a um oftalmologista é importante para que a sua vista sempre esteja perfeitamente adequada ao esforço visual que o estudo requer.

 

G. O método

A grande maioria dos estudantes não seguem métodos recomendáveis para estudar, fazendo-o de forma simples e eficiente de aprender. Pratique-o e aplique-o constantemente e terá excelentes resultados.

 

H. Relaxamento

Existem dois tipos de relaxamento: físico e mental.

Há necessidade de se dar algumas noções básicas sobre o relaxamento físico antes de começar a praticá-lo.

Depois de você aprender a relaxar física e mentalmente serão associados aos relaxamentos alguns exercícios práticos.

 

Requisitos para bem relaxar

Para conseguir um bom relaxamento é imprescindível estabelecer alguns requisitos.

 

Posição

A primeira medida a se tomar para um bom relaxamento do corpo é a escolha da posição. É quase impossível conseguir relaxar numa posição errada.

Existem algumas posturas eficientes.

Os antigos egípcios costumavam sentar-se em cadeiras - bem retos - com os olhos fixos à frente, as palmas das mãos sobre os joelhos, os calcanhares unidos e os dedos separados. Muitas estátuas representam essa posição.

A posição egípcia é a melhor para os ocidentais, pois a espinha fica reta e deixa as costelas livres para uma respiração profunda.

Os hindus costumam relaxar sentados no chão, com as pernas cruzadas. Os bem exercitados ficam na posição de lótus: as solas dos pés voltadas para cima e o corpo equilibrado para não cair em transe.

Pode-se relaxar deitado também. Mas não convém a princípio ficar muito confortável para não dormir. Melhor, portanto, sentado numa cadeira, com os pés apoiados no chão, mãos sobre o colo, voltadas para baixo deixando os dedos separados.

 

Manter-se consciente

Às vezes, quando se relaxa, perde-se a consciência, como é o caso de quando a pessoa vai dormir. É preciso aprender a relaxar conscientemente, para se praticar a meditação dinâmica.

 

Apoio musical

Faça o seu relaxamento ouvindo uma música calma (Enya, por exemplo), pois ela irá ajudar a desligar-se dos ruídos externos que poderão dificultar o seu êxito.

 

Fechar os olhos

O fechamento dos olhos é um passo importante para reduzir sua freqüência cerebral, para passar do nível Beta para o Alfa.

O meio ambiente, se possível, deve ser tranqüilo, a fim de eliminar os possíveis motivos de distração. Mas na medida em que se progride na arte da concentração, os agentes externos passam a ter menor importância até que sua influência fica praticamente nula. Mas é bom programar logo de início que o barulho não vai incomodá-lo.

 

Relaxar as pálpebras

Dr. Jacbson fez, na Universidade de Chicago, uma pesquisa durante 20 anos, a respeito do relaxamento das pálpebras, chegando à seguinte conclusão: relaxando as pálpebras não se consegue ter preocupações, porque se produz um relaxamento físico e esse leva ao relaxamento mental, que não pode coexistir com preocupação.

 

Imobilidade

Durante o relaxamento é bom não se mexer, ou reduzir os movimentos ao mínimo possível.

 

Respiração

Ajuda muito o relaxamento. Ao iniciá-lo, respire profundamente e exale vagarosamente. Repita esse processo três vezes.

 

Relaxamento muscular

Consiste em dirigir sua atenção para cada parte do corpo: cabeça, rosto, pescoço, ombros, tórax... até terminar nos pés. Para cada parte a qual é dirigida sua atenção, deve-se procurar relaxar. À medida que você vai repetindo o relaxamento vai sentindo seus músculos menos rígidos e menos pesados.

Seguindo corretamente estas instruções você chega perto do nível alfa, ou pode até atravessar sua fronteira, dependendo do treinamento.

 

Frases afirmativas

A afirmação de frases de forma repetitiva é uma das formas mais eficazes para a impregnação do subconsciente. O propósito básico das frases é estabelecer um contato entre o Consciente e o Subconsciente (ou consciente interior). Injetadas num nível calmo de consciência e em baixa freqüência cerebral, e repetida inúmeras vezes, ficam gravadas em sua mente.

Foram escolhidas algumas frases benéficas que poderão ajudá-lo a ter uma vida mais feliz, positiva, harmoniosa e vencedora.

- Sou forte e tudo vencerei!

- Sou tranqüilo e confiante!

- Sou perseverante!

- No vestibular vou produzir o meu máximo!

  

Diferença entre objetivos e metas

Pode parecer simples, óbvio até, mas a verdade é que a maior parte das pessoas confunde objetivos e metas, quem dirá, definir objetivos concretos e alcançáveis.

Quantas pessoas que você conhece costumam dizer o quanto se sentem perdidas? Pergunte a elas se já pensaram em definir um objetivo para suas vidas?

Em alguns dicionários, as duas palavras têm o mesmo significado e a rigor, têm mesmo, mas você vai entender a diferença que estabeleço entre as duas em um instante.

Para um bom planejamento, é de grande importância diferenciar uma coisa da outra. Considere OBJETIVO como o resultado mais importante que você quer alcançar e METAS como os resultados intermediários que você precisa atingir para alcançar o objetivo final.

Em outras palavras, você define um objetivo, que pode ser algo mais ou menos complexo, como sendo o norte do plano. Em seguida, você o quebra em metas mais fáceis de atingir. Diz o bom senso que atingindo as metas, uma a uma, ao final terá alcançado o objetivo.

 

OBJETIVO – PASSAR NO VESTIBULAR

METAS

- Estudar de segunda a sábado um mínimo de 6 (seis) horas além das aulas assistidas.

- Fazer todas as redações e refazer aquelas com nota inferior a 45.

- Ficar entre os 10 primeiros colocados no 1º simulado e a cada simulado melhorar sua colocação.

- Vencer todas as tentações que venham a desviar você do seu objetivo.

Obs: você deve estabelecer várias outras metas, escreve-las e colocar em lugar de visível e de freqüência cotidiana mentalizando todas diariamente.

 

Planejamento - Calendário

Um estudo bem feito necessita de planejamento e de assiduidade. Em razão disso, é importante estabelecerhorários e locais fixos para estudo e apegar-se a eles como um compromisso profissional. Veja as dicas para a concretização disso:

  • Hoje em dia, parte dos vestibulares atribuem um peso maior aos conhecimentos específicos. Se este for o caso da instituição que escolheu, separe as matérias que estudará em dois grupos: as de peso 1 (gerais) e  as de peso 2 (específicas).
  • Ter facilidade em determinadas disciplinas ajuda, mas não resolve o problema do vestibulando. É preciso estudar todas as disciplinas. É necessário, porém, aprofundar o estudo daquelas com peso maior (se houver diferentes pesos), pois dificilmente serão feitas perguntas banais.
  • Faça um levantamento do tempo semanal disponível para estudo. Não inclua nesse tempo horários de aulas na escola nem horários de refeição ou descanso. Não importa se o tempo que restou foi muito grande (seis horas) ou pequeno (uma hora e meia), o importante será usá-lo bem.
  • Elabore um calendário semanal de estudo, dividindo seu tempo disponível em “módulos” de 50 minutos, para não cansar o cérebro.
  • Entre os módulos é importante fazer intervalos de dez minutos – para tomar uma água, andar um pouco pela casa, separar o material do módulo seguinte.
  • Evite repetir a mesma matéria no módulo seguinte. Como hoje os vestibulares tendem a cobrar a interação de saberes, é interessante estudar áreas que tenham alguma convergência: exemplo agrupar o estudo de História com Literatura ou Geografia; o estudo de Física e Matemática; o estudo de Biologia com Geografia ou Química; o estudo de Inglês com Gramática e Interpretação de Textos em Língua Portuguesa.
  • Na distribuição do tempo de estudo, deixe para cada módulo de matéria geral dois módulos de matéria específica.
  • Deixe sempre tempo para elaboração de redação. Faça pelo menos uma nova redação por semana e refaça a que foi corrigida por seu professor. Você não estará “desperdiçando” seu tempo.  

 

Métodos de estudo

Fazer listas e mais listas de exercícios nem sempre é a melhor saída para quem precisa de resultados. Além de prenderem o aluno a apenas um tópico de determinada disciplina, os exercícios não fornecem conhecimento, apenas testam aqueles que a pessoa teoricamente tem. Por isso, aprenda a estudar a matéria e teste seu aprendizado com alguns exercícios (sem exagero).  Acompanhe sempre a matéria que está sendo estudada na escola para não se perder.

 

Sugestões de como estudar Química, Física e Matemática:

Revise os conceitos aprendidos em sala de aula e faça os exercícios da apostila. Caso essas matérias tenham peso maior em sua prova, escolha alguns exercícios de aprofundamento (pode ser do livro do Top Curso) e resolva-os. Se houver muita dificuldade na resolução de algum exercício, não perca tempo tentando resolvê-lo sozinho. Leve para o professor ou monitor ajudá-lo. Não carregue a dúvida com você!

 

Sugestões de como estudar Biologia

Revise a matéria ensinada na última aula de cada frente. Procure não apenas ler, mas esquematize o que há de mais importante, destacando as palavras-chave. Exemplo: se você estiver estudando aves, liste as características peculiares e, se ajudar, faça desenhos.

·         Faça os exercícios da apostila para testar se aprendeu. Os exercícios de aprofundamento devem ser feitos por aqueles candidatos cujo curso conferir peso dois a essa disciplina. Não fique muito tempo tentando resolver um único exercício, pois, além de perder um tempo precioso de estudo, você pode desanimar e isso não faz bem! Se alguma dúvida persistir, peça ajuda de seu professor.

 

Sugestões de como estudar Língua Estrangeira e Língua Portuguesa

Faça a revisão dos tópicos gramaticais estudados em aula; se necessário, esquematize com suas palavras o que for mais relevante. Teste seus conhecimentos com exercícios da apostila.

Faça, semanal ou quinzenalmente, exercícios de interpretação de texto. Escolha sempre o formato usado pela universidade em que prestará o vestibular (questões discursivas ou testes).

 

Sugestões de como estudar Literatura e História

Revise a matéria estudada em aula e esquematize com palavras-chave relacionadas à época, à fase ou à escola estudada.  É importante entender - não decorar - cada processo, mas fixar alguns conceitos centrais ajuda a organizar o pensamento e fugir de pegadinhas no vestibular.

Faça alguns exercícios da apostila para testar seus conhecimentos. Caso sejam matérias com peso maior em seu vestibular, faça exercícios de aprofundamento (principalmente da universidade em que prestará vestibular) ou escreva textos que resumam cada tópico estudado. Isso ajuda a fixar o conteúdo e já prepara para provas mais elaboradas.

 

Sugestões de como estudar Geografia

Tenha um mapa em mãos. Revise os conteúdos estudados em aula (seja da parte Física, seja da parte Geopolítica) e visualize-os no mapa (hidrografia, relevo, fronteiras, etc). Aprenda a ler e interpretar gráficos e estatísticas, pois muitas questões nos vestibulares testam essa habilidade.

Faça os exercícios da apostila a fim de testar seus conhecimentos. Caso seja matéria com peso maior em seu vestibular, faça exercícios de aprofundamento (principalmente da universidade em que prestará vestibular). Se houver dúvidas, leve-as para seu professor.

 

Horários produtivos de descanso, alimentação e lazer

Os horários para alimentação não devem ser “pulados”. Eles são imprescindíveis para a reposição de energia. Fixe horários para refeições mais pesadas (almoço e jantar) e para pequenos lanches (frutas, sucos, iogurte, cereais) ao longo do dia. Não coma enquanto estuda, pois isso prejudica a concentração e pode tornar-se um vício muito prejudicial (além dos quilinhos a mais, pode fazê-lo parar toda hora para “visitar” a geladeira). Leve apenas um copo de água para a mesa de estudo.

Os horários de descanso também não devem ser abolidos. Além dos intervalos regulares de dez ou quinze minutos a cada módulo de estudo, deixe as duas ou três horas que antecedem a hora de dormir para descansar o cérebro.  Esse período pode ser preenchido por atividades físicas (caminhada, academia, dança), por uma leitura mais leve e prazerosa, por alguma forma de entretenimento (assistir a um jogo, a um filme). Tome um banho relaxante e desacelere seu cérebro antes de dormir.

Aos domingos, você deve ter momentos de lazer. Escolher um filme que trate de algum tema relevante ou que discuta alguma situação polêmica, assistir a uma peça teatral ou visitar uma exposição são maneiras de aproveitar seu lazer de maneira bem produtiva.

 

Na reta final

Nas últimas semanas antes das provas, convém manter o ritmo de estudos sem esforços excessivos ou mudanças bruscas na rotina ou na alimentação, pois tais alterações podem aumentar a ansiedade e causar algum descontrole físico ou psicológico.

Convém participar dos simulados feitos pelo cursinho e inserir no cronograma de estudos a resolução de provas da universidade em que prestará vestibular.

 

Cronograma de Estudos

 

 

 

 

 

 

 

Horário

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

14h às 14h55

 

 

 

 

 

 

15h às 15h55

 

 

 

 

 

 

16h às 16h55

 

 

 

 

 

 

17h às 17h55

 

 

 

 

 

 

18h às 18h55

 

 

 

 

 

 

19h às 19h55

 

 

 

 

 

 

29h às 20h55

 

 

 

 

 

 

21h às 21h55

 

 

 

 

 

 

22h às 22h55

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Obs1: cada módulo possui 55 minutos e existe um período de 5 minutos entre eles para uma pausa necessária

Obs2: 2/3 da carga horária das aulas dos Cursos Modulares valem para a carga semanal de estudo individual.

 

Para fazer um bom resumo, alguns passos devem ser observados:

1- Uma primeira leitura atenta é indispensável para que você conheça o assunto da matéria (História, Ciências, etc.).

2- Todo o texto possui palavras-chaves que contém as ideias principais do texto. Essas ideias devem ser grifadas para que possam servir de ponto de partida para o resumo.

3- Deve ser feito um resumo de cada parágrafo, o que muitas vezes pode transformar vários parágrafos em um.

4- Durante toda a construção do resumo, deve ser feita uma leitura atenta para verificar se existe coerência e sequência lógica entre os parágrafos resumidos.

5- O resumo não é um comentário crítico, você deve sintetizar as ideias do autor, sem emitir sua opinião.

 

TÉCNICAS PARA SINTETIZAR UM TEXTO

Existem, segundo pesquisadores, basicamente 3 técnicas que podem ser úteis ao escrevermos uma síntese de um texto: o APAGAMENTO, a GENERALIZAÇÃO e a CONSTRUÇÃO:

- APAGAMENTO: consiste em “apagar” ou cortar partes de um texto que são desnecessárias para um resumo.

 Exemplo: O imperador franco Carlos Magno era um grande estrategista militar e conquistador. Ele conquistou vários povos e construiu um grande império.

Sendo essa frase resumida através do pagamento, poderia ficar assim:

Carlos Magno conquistou vários povos e construiu um grande império.

- GENERALIZAÇÃO: reduzir os elementos da frase pelo significado.

Exemplo: Os povos incas se alimentavam basicamente de: cenoura, pimentão e batata.

A frase poderia ser resumida assim:

Os incas se alimentavam de legumes.

- CONSTRUÇÃO: Substituir uma seqüência de fatos, baseando-se no significado.

 Exemplo: Os astecas demarcavam canteiros delimitados por estacas fixas no fundo do lago. No interior dos canteiros, eles depositavam camadas de lama suficientemente adubadas para nessas ilhas cultivar vários produtos.

Todas essas ações praticadas pelos astecas poderiam ser sintetizadas assim:

Os astecas cultivavam vários produtos em ilhas fixas no fundo do lago.